Wilma de Faria afirma que Carlos Eduardo não deve ser candidato a governador do RN

A presidente estadual do PSB, vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, disse hoje que o nome do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), é um bom nome para disputar o governo do Estado nas eleições do ano que vem. Entretanto, ela salientou que o chefe do executivo municipal tem compromisso com Natal até 2016, quando encerrará o atual mandato.
“O prefeito Carlos Eduardo é um excelente nome, mas ele tem um compromisso com Natal e nós participamos desse compromisso. Eu vi no dia a dia da campanha que nós tivemos no ano passado, um compromisso formal que foi assumido pelo prefeito. Então, ele vai cumprir, como ele tem dito reiteradas vezes, esse compromisso”, disse Wilma, em entrevista nesta quinta-feira ao Jornal da Cidade, da FM 94.
O nome de Carlos Eduardo chegou a ser cogitado nos últimos dias como provável candidato a governador. Para tanto, ele teria que renunciar a mandato em março do ano que vem, para atender à legislação eleitoral. Instada a falar se descartaria uma candidatura no próximo ano para assumir a Prefeitura de Natal em caso de renúncia do prefeito, Wilma preferiu não falar sobre tese.
“Eu não vou falar aqui em termos de conjectura, porque essa conjectura não existe. O prefeito tem dito e repetido que continuará na prefeitura e não falará sobre essa questão de candidatura, porque ele já assumiu um compromisso anteriormente com a população de Natal. Então não adianta nem nós falarmos em relação a qualquer tipo de comportamento meu”, disse, afirmando que todo mundo sabe que ela ama Natal e reconhece o seu trabalho pela cidade.
MAJORITÁRIA EM 2014
Sobre o PSB e a disputa majoritária do próximo ano, Wilma declarou que ainda não há uma definição, mas defendeu o critério das pesquisas como aferidor de nomes viáveis para encamparem candidaturas majoritárias pela oposição. “Não, não tem nada de concreto ainda, porque nós estamos discutindo; as nossas decisões têm que ser tomadas até o dia 30 de junho de 2014, então nós estamos dentro dos prazos”, afirmou.
“Eu sei que há uma ansiedade muito grande de saber, porque há dentro do nosso partido a perspectiva de pessoas que podem assumir determinadas candidaturas, mas não temos discutido isso; por enquanto não tem nada definido, temos discutido, temos visto as pesquisas, porque é importante que se analisem as pesquisas, porque elas dão o relato concreto do que está acontecendo e do que está na cabeça do povo e isso a gente vê tanto no contato direto quanto nas pesquisas”, declarou.
Instada a falar se já admite disputar o governo ou o Senado em 2014, Wilma disse que se sente pressionada pela população. “A nossa posição foi sempre a de dizer à população do RN que o nosso objetivo, do partido, era fortalecer o Legislativo, porque quando você tem maior número de deputados federais você tem mais tempo de televisão do partido e você tem mais condições de fazer o partido crescer”, comentou. “Entretanto, a gente está sentindo a população nos pressionando, há uma pressão popular que a gente não pode negar que existe. Existe uma pressão popular nos colocando no centro dessas escolhas, para que nós tenhamos a condição de ter uma candidatura do partido na eleição majoritária, tanto para governo do Estado e às vezes até para o Senado”, disse.
“Com o PMDB nós também estamos abertos para dialogar sobre o futuro do Estado”
Bem situada na preferência popular hoje, a vice-prefeita Wilma de Faria disse que se é para atender a expectativa da população, a oposição deve lançar os candidatos com mais chances de vitória no pleito que vem. Entretanto, segundo ela, o PSB vai manter canal de diálogo com todos.
“Se você tiver condições de fazer um trabalho que seja atendendo a expectativa da população de forma racional você vai trabalhar exatamente os candidatos que tenham mais condição de vitória. Então até lá a discussão vai permanecer democrática entre os partidos, nós estamos atentos a conversar com todos”, disse.
Wilma afirmou ainda que “da mesma forma que o PSB se dispõe a apoiar os demais candidatos que estão no eixo da oposição, a gente se dispõe a somar com outros partidos para outras candidaturas. Nós queremos também estar colocados nessa posição, para poder, somando, termos sucesso nesse pleito de 2014″.
Sobre o PMDB, partido que rompeu recentemente com o governo Rosalba Ciarlini, Wilma disse que ainda não sentou para conversar, mas que o PSB está aberto ao diálogo. “Ainda não sentamos para conversar sobre as questões relacionadas ao pleito de 2014. Já houve conversas de abertura de diálogo, tanto da nossa parte quanto da parte deles. Então com o PMDB nós também estamos abertos para dialogar”.
Segundo Wilma, “esse diálogo não está existindo ainda, mas ele pode acontecer e a gente pode conversar sobre o futuro do Rio Grande do Norte”, afirmou, destacando que “é preciso pensar que hoje estamos em um momento muito difícil”.
“A gente saiu de um momento de caos aqui em Natal e ainda estamos construindo tudo, foi difícil para Natal, porque nós estávamos permanentemente na mídia nacional. Hoje está sendo difícil para o RN, porque estamos da mesma forma permanecendo nas notícias negativas do Brasil contra o RN”, completou.
Wilma de Faria, sobre José Agripino Maia: “Eu não tenho inimizade com ninguém”
Ex-prefeita de Natal e ex-governadora do Estado, Wilma de Faria disse que não tem inimizade com ninguém, se referindo ao senador José Agripino Maia, presidente do DEM no Brasil e no Rio Grande do Norte. “Eu não tenho inimizade com ninguém, mas na verdade a gente tem que ter uma posição ideológica definida, uma posição também partidária definida”, disse, ao descartar aliança com o DEM do senador José Agripino Maia para as eleições de 2014.
“Nós temos um posicionamento completamente diferente do DEM. A gente sempre diz que todos os apoios são importantes. Quando você tem, por exemplo, uma candidatura majoritária própria, todo mundo diz que quer o apoio de todos. No entanto, com relação a essa questão do DEM, o DEM tem uma relação muito estreita com outros partidos que fazem oposição ao governo federal, o que não é o nosso caso”, disse a ex-governadora.
Ainda segundo Wilma de Faria, a posição do PSB é clara no sentido de oposição ao governo do DEM. “Eu não tenho inimizade com ninguém, mas na verdade a gente tem que ter uma posição ideológica definida, uma posição também partidária definida. Então a nossa posição aqui no RN hoje é de estarmos na oposição. O DEM hoje tem um governo que não funciona e que nós estamos fazendo uma oposição em favor do RN. Nós estamos trabalhando para que esse governo possa colocar o RN de novo na reta do desenvolvimento, porque de repente a gente saiu dos trilhos e a gente tem que voltar para os trilhos do desenvolvimento, para voltarmos a crescer”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *