Sua majestade, o cérebro.

     

 

                                             Poucas coisas nesse mundo, carregam uma carga de mistério maior e mais intrigante do que o cérebro humano. A ciência explica o funcionamento desse órgão do pensamento, só que de maneira técnica, tornando muito difusa e até incompreensível tais explicações. Tem uns impulsos

elétricos chamados sinapses que percorrem os chamados neurônios de um canto a outro, levando pensamentos, trazendo lembranças, enfim fazendo funcionar uma máquina tão misteriosa quanto fascinante. E o que dizer das lembranças armazenadas ao longo da vida? Vemos principalmente os idosos esquecerem o que comeram no dia de ontem, porém lembram-se perfeitamente de episódios ocorridos em plena adolescência e até mesmo na infância.

Como se processam os sonhos? Sonhamos com coisas completamente desconexas com a nossa realidade e quando acordamos, na maioria das vezes, os esquecemos para voltar a lembrar, invariavelmente quando nos deitamos de novo. O cérebro tem um arquivo amplo e espaço de sobra para elaborar toda matiz de pensamento, claculos dos mais complexos, no entanto, Como disse o cantor Raul Seixas em uma de suas canções, que usamos apenas 10% de nossa massa cinzenta. Uma das personalidades que mais extraíram sabedoria dos seus cérebros, o tão conhecido Albert Einstein, formulador da teoria da relatividade, comprovou que realmente o cérebro humano, parece não ter limites para seu funcionamento.
Dentre todas as atividades, o cérebro tem a prerrogativa de ainda direcionar o ser humano para suas atividades cotidiana, fazendo uso de uma inteligencia, ausente em todos os outros animais, pelo menos em igualdade de condições. O ser humano é insuperável em elaborar sua propria saga existencial, trabalhando sempre para melhorar as próprias tarefas, criando tecnologias tais que falicilite ainda mais o funcionamento de sua majestade… O cérebro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *