Procedimento cirúrgico para correção de deformidades no tórax é pioneiro no Rio Grande do Norte

Cirurgia realizada por
Dr. Hylas Ferreira e sua equipe do Hospital do Coração

Pioneira
no Estado do Rio Grande do Norte, a videotoracoscopia, técnica minimamente
invasiva que corrige deformidades da parede torácica (pectus
excavatum), vem sendo realizada no
estado desde julho deste ano. Iniciada em 1995 no Estado de São Paulo, a videotoracoscopia é um procedimento cirúrgico realizado por
meio de um toracoscópio introduzido na parede torácica do paciente, visando a
correção física e estética dos pacientes.
O
primeiro procedimento deste tipo foi realizado em Natal, há três meses, pelo
cirurgião torácico, Dr. Hylas Ferreira e sua equipe do Hospital do Coração. “A
técnica inovadora trouxe benefícios estéticos e cirúrgicos. Na técnica
convencional, era estipulado um tempo médio de 2 horas para a conclusão e com a
videotoracoscopia o tempo reduziu para 40 minutos, além de quase isentar o
paciente de dores pós-operatórias”, explica o Dr. Hylas.
Em
alguns casos, a deformidade atinge apenas a estética do indivíduo, em outros,
pode se agravar e prejudicar as funções cardíacas e respiratórias. Geralmente,
os pacientes com esse problema, sentem-se reclusos, enfrentam problemas
psicológicos e sociais, chegam até a evitar a prática de esportes, exercícios
físicos e uma simples ida à praia ou piscina. “Em algumas ocasiões eu ficava
bastante tímido, jamais tirava a camisa. Na verdade, eu tinha vergonha de tudo,
hoje em dia já me sinto empolgado para iniciar exercícios físicos, coisa que eu
não sentia antes de fazer a cirurgia”, expressa Thiago Pires, paciente que foi
submetido a videotoracoscopia.
Pectus Excavatum (popularmente conhecida
como peito de sapateiro)
Pectus Excavatum,
popularmente conhecido como peito de sapateiro, trata-se de uma deformidade nas
paredes do tórax corrigida pelo procedimento cirúrgico conhecido como videotoracoscopia, apresentando pouca
agressão e boa recuperação do paciente. A cirurgia é realizada através de um
toracoscópio introduzido na parede torácica do paciente. O toracoscópio é um
tubo que permite a observação das superfícies pulmonares e da cavidade pleural com
o objetivo do tratamento da lesão. Normalmente são feitas duas incisões laterais,
onde são inseridas a câmera, equipamento de apreensão e grampeadores designados
para cada cirurgia.

Antes da cirurgia
Depois da cirurgia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *