PF deflagra operação contra lavagem de dinheiro e evasão de divisas no RN

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (8) na Grande Natal, a Operação Sukkar, que tem como finalidade apurar delitos contra a ordem tributária, apropriação indébita previdenciária, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, condutas essas atribuídas aos sócios e administradores de indústria de alimentos com sede neste Estado.
Estão sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em empresas e endereços residenciais. De acordo com o delegado de Combate ao Crime Organizado, Rubens França, para esta fase da operação nenhuma prisão deverá ser realizada. “A gente está só no fase de inquérito, a gente só pediu a busca e apreensão. Foram só os quatros mandados, nada além desses mandados”, disse.
O delegado disse ainda que as investigações tiveram início a partir de uma notícia-crime. “As investigações normalmente iniciam com uma notícia-crime e no caso foi relacionado a crimes tributários. A partir dessa notícia, conseguimos apurar outros tipos de crimes”, explicou Rubens.
Segundo as investigações, iniciadas há um ano, foi constituído um pool de empresas, pertencentes a familiares dos investigados, tudo para movimentar recursos não contabilizados pela indústria investigada, em prejuízo ao Erário. “A gente já tem nos autos indícios relacionados a esses crimes e as buscas estão sendo realizadas com o objetivo de robustecer o conjunto probatório que já tem nos autos. O segundo objetivo é identificar novos atores, novas empresas ou terceiros que estejam também envolvidos”, detalhou o delegado.
Existem fortes indícios de que as exportações realizadas são subfaturadas e que parte do pagamento é feito em conta bancária mantida clandestinamente no exterior e sem o conhecimento das autoridades brasileiras.
Durante as investigações, verificou-se ainda uma série de atos de transferência e aquisição patrimonial em nome de terceiros, numa clara indicativa de lavagem de dinheiro proveniente dos valores sonegados pela empresa.
Ao todo, estão sendo utilizados nesta operação, cerca de 20 policiais federais, além de auditores da Receita Federal, que apoiam o trabalho investigativo.
O nome Sukkar (açúcar em árabe) faz alusão ao ramo de atividade da empresa investigada.
Atualizada às 11h35 para acréscimos de informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *