Os benefícios do perdão


 


                                          O perdão, é um verbo muito fácil de se conjugar porém, por vezes muito difícil de se praticar. O perdão, é de longe uma das coisas que mais tem serventia ao ser humano, quando o assunto é sentimento. Quando alguém se ressente por alguma coisa ruim que lhe aconteceu, geralmente se ressente com algum suposto culpado pelo ocorrido. Esse ressentimento, também conhecido como raiva, ou ódio quando o sentimento de revolta é muito forte, leva muitas vezes o ressentido no rumo de uma vingança, que nada mais é do que apagar o fogo com gasolina, já que vingança nenhuma, irá apagar o acontecido. No entanto, existe esse sentimento de revolta causador de inúmeras tragédias mundo afora, tanto no âmbito individual quanto coletivo, no caso de tantas guerras ocorridas ao longo da história, cujas vidas perdidas pelo sentimento de vingança, são contadas em milhões pelo mundo afora.

                                          Seguisse o ser humano, o que ensinou Jesus Cristo no novo testamento, quando perguntado quantas vezes se alguém poderia perdoar sete vezes e ele respondeu que não sete vezes, mas setenta vezes sete. Ele sabia o que estava dizendo. O pregador da paz, fez uso do perdão até na hora da própria crucificação, quando pediu: Pai, perdoa-os, pois eles não sabem o que fazem. O perdão, quando bem usado, é o melhor bálsamo para uma mente fervente de desejo de vingança. Se bater aquele sentimento tipo: Meu Deus o que eu estava tramando contra fulano? Pronto, eis a deixa para se eliminar talvez mais uma tragédia.

                                            O papa Francisco publicou o seguinte, com respeito ao perdão: Não existe família perfeita, não existe pais perfeitos, nós não somos perfeitos. Não nos casamos com uma pessoa perfeita e não temos filhos perfeitos. Temos queixa uns dos outros, decepcionamos uns aos outros, por isso, não há casamento saudável, nem família saudável, sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão, a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma, nem comunhão com Deus. A mágoa, é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração, é um processo autodestrutivo. É a gente tomar veneno querendo que o outro morra. Quem não perdoa, adoece física, emocional e espiritualmente. É por isso que a família precisa ser um lugar de vida e não de morte, território de cura e não de adoecimento, palco de perdão e não de culpa. O perdão devolve a alegria onde a mágoa implantou tristeza e devolve a cura onde o ressentimento causou doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *