“O partido tem presença no governo, mas muito pequena”, diz Wilma de Faria

Assumindo interinamente a prefeitura do Natal, Wilma de Faria (PSB) não descartou a possibilidade do seu partido lançar candidatura própria para o cargo nas eleições de 2016. “Há uma perspectiva de candidatura, dependendo de como vamos tratar o PSB nesse arco de alianças que nós fizemos em 2012”, disse.
A presidente do PSB no Rio Grande do Norte destacou que o nome ainda não foi definido, mas se coloca à disposição do partido. “Se colocou a pretensão de que poderíamos ter candidatas a prefeita. Por coincidência, o partido colocou Wilma, Márcia ou Júlia Arruda. São nomes que podem ser a disputar a majoritária do PSB”, afirmou Wilma.
Com a possibilidade, Wilma também evidenciou uma insatisfação por parte do PSB com o espaço obtido dentro da gestão do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT). “O partido tem presença no governo, mas muito pequena. Nós não exigimos. Ao contrário, o prefeito se comprometeu conosco. Não comigo, com o partido. Mas a gente tem tido uma presença muito mais frágil. Nós temos muito mais condições de apoiar e ajudar”, lamentou.
No entanto, a prefeita em exercício reforçou que a cobrança não parte pessoalmente dela, mas do PSB. “Nós estamos hoje assumindo a prefeitura em função de uma viagem dele ao exterior. Eu não me sinto desprestigiada, mas ao mesmo tempo sinto que o partido o tempo todo faz gestões a mim que a gente tem que exigir esse espaço para poder te condições de trabalhar e haver uma integração mais forte e poderosa. O problema é que nós somos oposição ao governo federal. Isso é uma coisa que talvez tenha criado alguma dificuldade na ocupação de espaço”, amenizou Wilma.

Deixe uma resposta