Justiça cassa mandato do deputado que “traiu” Cunha

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Pará determinou nesta sexta-feira (8) a cassação do mandato do deputado federal Wladimir Costa (SD-PA) por suspeita do uso de caixa dois na sua eleição à Câmara e por não ter prestado conta de gastos de campanha que somam R$ 410 mil.
O deputado pode recorrer da decisão ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), instância máxima da Justiça Eleitoral, que decidirá se ele pode permanecer no mandato até a conclusão definitiva do julgamento.
Se a decisão do TRE for confirmada pelo TSE, Costa ficará inelegível por oito anos.
A campanha de Wladimir Costa à Câmara Federal custou, segundo valor declarado pelo deputado, R$ 642 mil.
O deputado ganhou notoriedade recentemente por, apesar de ser um reconhecido defensor de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ter votado a favor do pedido de cassação do peemedebista no Conselho de Ética.
Durante a votação do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, na Câmara, Costa também chamou atenção por ter estourado confetes no plenário.
A reportagem não conseguiu entrar em contato com o deputado na tarde desta sexta-feira após ter telefonado para seu gabinete na Câmara e para a sede do partido Solidariedade, em Brasília.

Deixe uma resposta