Investigações apontam desvios de R$ 1,1 bilhão nos ministérios

As investigações de desvio de recursos públicos em órgãos federais
identificaram ao menos 88 servidores públicos, de carreira ou não,
suspeitos de envolvimento em ações escusas que acumulam dano potencial
de R$ 1,1 bilhão. O desvio de recursos por meio do Instituto Êpa, em
Natal, deverá se somar ao valor apurado pelos órgãos de fiscalização.

O
volume de recursos pagos também leva em consideração o dinheiro cuja
liberação chegou a ser barrada antes do pagamento. A recuperação do que
saiu irregularmente dos cofres públicos ainda dependerá de um longo e
penoso processo, até que parte desse dinheiro retorne ao Erário.

Os
desvios foram constatados em investigações da Controladoria Geral da
União (CGU) e dos cinco ministérios cujos titulares foram exonerados –
Transportes, Agricultura, Turismo, Esporte e Trabalho.

A
contabilidade exclui investigações ainda não encerradas pela Polícia
Federal, que apura se houve ou não pagamento de propina a servidores,
apontados como facilitadores dos esquemas de corrupção em Brasília e nos
braços estaduais dos órgãos federais.

Somente nas últimas semanas, a Polícia Federal desmontou três esquemas de corrupção intimamente ligados às denúncias.

No dia 14 de dezembro, por exemplo, 40 agentes cumpriram mandados de
busca e apreensão no Instituto ÊPA, uma ONG de Natal, que,
comprovadamente, desviou R$ 1 milhão do Ministério do Trabalho, de
acordo com a Polícia Federal.

Ao todo, o grupo ligado à ONG recebeu R$ 28 milhões, em convênios com pelo menos três órgãos federais.
Fonte: nominuto.com

Deixe uma resposta