Inadimplência do consumidor cresce 1,9% em novembro, diz Serasa

A inadimplência do consumidor brasileiro subiu 1,9% no mês de novembro
em relação a outubro, segundo dados da empresa de consultoria Serasa
Experian. Na comparação com o mesmo mês de 2010, a elevação é de 17,4%.
No acumulado do ano, considerando os meses de janeiro a novembro, a alta
é de 22,4% no comparativo com o mesmo período do ano anterior.

Segundo
os economistas da Serasa, o aumento mensal é pontual, resultante da
greve dos Correios, que atrasou o envio de boletos e faturas para
pagamento. Também pode ser justificado pela falta de pagamento da
segunda parcela das compras do Dia das Crianças.

A variação
positiva do indicador, que nos últimos meses fazia o movimento
contrário, com duas quedas consecutivas, é decorrente da alta em todos
os itens. A maior elevação foi encontrada nos protestos, que subiram
12,4% de um mês para o outro. Em seguida aparecem os cheques devolvidos
por falta de fundos, com alta de 10,4%, que representam 1,1% do total de
1,9% da variação.

Dívidas não bancárias, com financeiras, lojas
em geral e prestadoras de serviços, e débitos com bancos, subiram 0,9% e
0,5%, respectivamente.

O valor médio dos títulos protestados
ficou em R$ 1.369,39 no acumulado do ano, quantia 15,7% superior ao
registrado no mesmo período de 2010. O valor médio dos cheques sem
fundos foi R$ 1.354,40, crescimento de 8,2%. Já as dívidas não bancárias
e débitos com bancos foram de R$ 322,36 e R$ 1.302,70, respectivamente,
o que representam reduções de 17,4% e 0,7%, respectivamente.
Fonte: nominuto.com

Deixe uma resposta