Em São Pedro, vereadores aprovam aumento de 22% em seus salários

A sessão da Câmara Municipal de Vereadores de São Pedro, nesta terça-feira (18), foi bem movimentada e o principal momento da noite foi a votação do aumento dos vencimentos dos vereadores.

O aumento, que terá validade a partir de novembro, será de 22% e os atuais 2.500 mil reais serão reajustados para 3.050 reais. Já o salário do presidente da casa continuará nos 4 mil reais, teto definido ainda em 2012 e que já é recebido pelo atual presidente José Adailson (PSB). Apenas os vereadores Cicinho (PSB), Zé da Caçamba (PMDB) e Dedé de Titico (DEM) foram contrários, os demais votaram favoráveis.

Zé Caçamba questionou o fato de o aumento não haver sido dado desde janeiro de 2014 e o presidente da Câmara, José Adailson, justificou que durante os dez meses fez economia para poder cumprir compromissos e que a casa tem hoje 14 mil reais em caixa. O que chama atenção é que a não efetivação do aumento de 550 reais nos salários de cada vereador desde o início do ano significa uma economia de 4.400 reais mensais, correspondentes a 44 mil que não foram gastos em dez meses.

Respondendo crítica do presidente, o vereador Dedé de Titico rebateu a afirmação de que se o aumento não fosse dado agora não seria dado por ele e se comprometeu a manter o seu salário de presidente, a partir de janeiro de 2015, equivalente aos salários dos demais vereadores.

O vereador Marcio Graciano (PSB), que até pouco tempo questionava a diferença de salários entre o presidente e os demais, mudou de opinião e considera injusto que sejam equiparados os salários. Informou ainda que fica bastante satisfeito com o aumento, pois poderá atender melhor às pessoas que lhe confiaram o voto. “A gente tira o dinheiro dos nossos salários para ajudar as pessoas que precisam”, afirmou o líder da Prefeita Robenice na Câmara.

Matéria do Blog Atualidade SP

Deixe uma resposta