Carlos Eduardo pede: “Tirem meu nome das pesquisas. Não sou candidato a governador”

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, do PDT, definitivamente, não é candidato ao Governo do Estado. Ele deixou isso bem claro na manhã de hoje, em entrevista ao Jornal 96, da rádio 96 FM. Tanto é assim que o chefe do Executivo Municipal até pediu para que não apareça mais nas pesquisas de intenção de voto para 2014. O sonho dele é buscar a reeleição para a Prefeitura de Natal em 2016.
“Não. Sou prefeito e continuarei prefeito. O que eu penso, sonho, e todo mundo tem que sonhar nessa vida, porque ela não é fácil e o sonho ajuda, é em 2016 ser candidato a reeleição para dar continuidade a esses e outros grandes projetos, programas e obras”, justificou, pedindo que “senhores dos institutos de pesquisa, tirem o meu nome das pesquisas. Eu não sou candidato a governador. Eu sou candidato a resgatar Natal”, ressaltou o prefeito.

O nome de Carlos Eduardo para o Governo do Estado tem sido costumeiramente lembrado pelos institutos de pesquisa mesmo com o prefeito afirmando não ser candidato. Não era para menos: o gestor municipal já disputou o cargo em 2010 (perdeu para a atual governadora) e desde que voltou a Prefeitura tem ganhado força política que o credenciariam para a disputa.
Porém, Carlos Eduardo tem compromissos políticos que vão além da Prefeitura de Natal. O gestor tem ao lado dele dois potenciais candidatos ao Governo: o vice-governador Robinson Faria, do PSD, primeira liderança política a apoia-lo na disputa política de 2012; e a vice-prefeita e ex-governadora Wilma de Faria, do PSB, que abriu mão da disputa no ano passado para completar a chapa do prefeito.

APOIO A DILMA

Além de descartar o próprio nome, Carlos Eduardo deixou claro que está conversando com partidos que fazem oposição ao Governo do Estado para definir alianças para o próximo ano. “No Rio Grande do Norte, estamos ainda no mês de outubro. Ninguém vai decidir 2014 em 2013. O que há, naturalmente, é um processo permanente, político. O diálogo já começou com relação às alianças políticas e nos estamos, realmente, conversando com algumas lideranças políticas, como Henrique e Garibaldi, do PMDB; com Wilma, do PSB; com Fátima, do PT; como Antenor Roberto, do PC do B; e outras forças políticas”, contou.
Definição mesmo, só o apoio a disputa nacional: apoiará à reeleição de Dilma Rousseff, do PT. “Já comuniquei isso a Direção Nacional, já fui sondado há 10 dias pelo presidente Carlo Lupi, quando me sondou sobre a sucessão presidencial. Eu fui claro e direto: estou com a presidente Dilma. Ela tem sido parceira da administração, tem ajudado a Natal, então, estou com ela”, determinou Carlos Eduardo Alves, em entrevista ao Jornal 96, da rádio 96 FM.
“A todos eu já comuniquei a nossa posição pró-Dilma Rousseff em 2014. Agora, o PDT terá reivindicações, terá uma chapa de deputados estaduais, lançará candidato a deputado federal, e vai discutir participação na chapa majoritária. É natural e legítimo. Todo partido tem o dever de procurar espaço na sua legenda”, comentou.
Prefeito antecipa pagamento da folha e ironiza atraso do Governo
O prefeito Carlos Eduardo também aproveitou a participação no programa de rádio para falar sobre os fatos recentes envolvendo o pagamento de servidores públicos. Afinal, na tarde desta quinta-feira, pouco depois da Prefeitura de Natal anunciar o pagamento antecipado dos servidores municipais (previsto para começar no dia 28, mas antecipado para hoje, para que eles recebam antes do Dia do Servidor, na próxima segunda-feira), o Governo do Estado divulgou nota confirmando o atraso salarial.
“Não sou candidato a governador, sou prefeito de Natal. Estamos fazendo esforço grande, enorme. Todo dia se mata um leão, porque é prazeroso, mas não é fácil, por exemplo, hoje (25) está pagando o salário de todos os servidores da Prefeitura”, afirmou Carlos Eduardo, ironizando a forma como o Governo tratou o atraso salarial, chamando-o de “reprogramação” de pagamentos.
“Eu quero garantir a eles que o calendário divulgado no início do ano vai ser cumprido. Não vai ter reprogramação. Vocês podem fazer seus projetos de vida, com seus salários, porque o calendário até o final do ano vai ser cumprido. Salário e 13º salário em dia”, ironizou o prefeito de Natal.
É bem verdade que o atraso confirmado para o Governo do Estado não foi para todos os servidores. Segundo a Secretaria de Planejamento e Finanças, por meio de nota, 95% dos funcionários estaduais deverão receber os salários até o dia 31, enquanto os 5% restante terão os vencimentos pagos, somente, na semana seguinte.
“Eu só vi o Legislativo ser invadido na ditadura militar e agora estou vendo isso na Câmara Municipal”
Depois de 10 dias de ocupação, os manifestantes do Movimento Passe Livre, finalmente, deixaram a porta da Câmara Municipal de Natal. Contudo, a atitude deles (que deixou as marcas da ocupação nas pichações e depredações ao prédio público) ainda é alvo de críticas de alguns políticos. Carlos Eduardo Alves foi um deles. Segundo o prefeito de Natal, essa atitude dos manifestantes é comparável à Ditadura Militar.
“Eu só vi o Legislativo ser invadido na ditadura militar. O legislativo era invadido pela Ditadura, que trancava as portas da representação popular e esse ato truculento, antidemocrático e ditatorial. E agora estou vendo isso na Câmara Municipal. Isso não pode acontecer”, analisou ele, acrescentando que se solidariza aos vereadores e afirma que os estudantes estão no papel deles, mas ressaltando que é preciso respeito à Democracia e se a Câmara não os representa, é preciso votar diferente.
Vale lembrar que a ocupação na Câmara Municipal começou no dia 15, mesmo dia em que os vereadores mantiveram o veto de Carlos Eduardo ao projeto do passe livre. O chefe do Executivo Municipal argumentou que a matéria era inconstitucional e que a Prefeitura não tinha recursos para custear a passagem gratuita de todos os manifestantes.
Porém, além de vetar o projeto, a Prefeitura anunciou que deverá propor um passe livre “dentro das possibilidades do Município”. A matéria se baseará no passe livre de João Pessoa, ou seja, dará passagem gratuita, apenas, para os estudantes da rede pública municipal de ensino que cursam até o 9º ano.
AMEAÇA DO SETURN
Ainda sobre o tema “transporte”, Carlos Eduardo comentou as recentes declarações do Sindicato das Empresas de Ônibus (Seturn) a respeito da possibilidade de aprovação da bilhetagem única em Natal, ameaçando tirar o sistema do Natalcard de funcionamento. O prefeito, que tem defendido a matéria desde que viu a sede da Prefeitura ser ocupada por motoristas do transporte alternativo, afirmou que a bilhetagem única é uma realidade para o Executivo e não abrirá mão.
“Primeiro, o prefeito não aceita ameaças de qualquer instituição, associação ou entidade. Nós não temos medo de cara feia”, afirmou o prefeito Carlos Eduardo. “A bilhetagem única já tomamos uma posição, clara e definitiva. Sem ela, nós vamos eliminar o transporte alternativo em Natal que, como o transporte de ônibus, dão uma grande colaboração para a nossa cidade. A bilhetagem única vai ser executada porque é uma decisão administrativa da Prefeitura de Natal”.
Apesar de tentar demonstrar que não depende do Seturn, Carlos Eduardo assumiu que a Prefeitura não tem como custear, sozinha, o sistema do Natalcard, devido a condição financeira do Município – o sistema necessitaria de investimentos de mais de R$ 3 milhões. “Vamos ter um diálogo com os empresários do transporte de ônibus e alternativo para ver as possibilidades”, comentou.

Deixe uma resposta