Brasileirão: Não, ainda não acabou!


Ninguém pode dizer que este domingo não foi o dia em que a torcida do Corinthians gritou “é campeão”. Foi sim. Duas vezes. Uma delas, aliás, já depois de terminado o jogo contra o Figueirense. Mas, num Campeonato Brasileiro equilibrado e movimentado como o de 2011, não faria sentido que a definição do título ficasse adiada apenas para o último dia de jogos – e graças a uma reviravolta inacreditável na penúltima rodada.

Quando Liedson abriu o placar aos 22 minutos do segundo tempo em Florianopolis, completando de cabeça um cruzamento de Alex, a torcida corintiana ganhou o direito de se sentir pentacampeã pela primeira vez no dia. Mas o que parecia ser o gol do título durou apenas 12 minutos, até que, no Engenhão, Alecsandro abriu o placar para os vascaínos, vice-líderes, diante do Fluminense.

Só que a primeira ducha de água fria durou ainda menos do que a primeira comemoração. Sete minutos depois, teve mais gol que parecia do título corintiano: gol de Fred, para empatar o clássico carioca. E, então, cada vez mais, o Corinthians se sentia no direito de comemorar. Consolidou sua vitória, aguardou dentro de campo pela possibilidade de começar a festa até que… saiu o gol: o gol do não-título. O vascaíno Bernardo, aos 46 minutos da segunda parte, marcou o 2 a 1, manteve a diferença em dois pontos a favor dos corintianos e transformou a última rodada do Brasileirão num festival alucinante de clássicos Brasil afora. Sobretudo dois deles: Flamengo x Vasco e Corinthians x Palmeiras.

Por que ver os clássicos
“O importante foi que fizemos a nossa parte”, tratou de ressaltar o corintiano Alex, tentando manter a calma apesar da evidente frustração pelo anticlímax causado pelo gol do Vasco a quilômetros de distância. “Nunca tinha vivido uma coisa assim, uma disputa de título com tantas reviravoltas. Mas agora é hora de manter a calma e partir com tudo para a decisão contra o Palmeiras. Eles não brigam por mais nada na tabela, mas brigam certamente por uma disputa particular conosco”, disse o corintiano sobre os rivais, que neste domingo venceram outro clássico por 1 a 0, contra o São Paulo, e afastaram o Tricolor da zona da Libertadores.

As posições na classificação dizem o contrário, mas era evidente após a rodada onde havia mais felicidade e celebração: no Vasco bem mais do que no Corinthians. “Sabemos que nada está ganho e que, pelo contrário, não dependemos só de nós para conquistar o título. Mas uma vitória dessas certamente eleva mais nosso moral e mostra, de novo, a força e a capacidade de decisão deste grupo, como já vimos ao longo do ano”, comemorou Alecsandro, referindo-se à conquista vascaína na Copa do Brasil e à campanha até a semifinal da Copa Sul-Americana, cuja partida de volta disputa na semana que vem em Santiago, contra a Universidad de Chile.

Nos dois principais clássicos do próximo domingo, o Vasco precisa vencer o Flamengo e torcer para uma derrota do Corinthians – a quem basta um empate – diante dos palmeirenses. Outro duelo regional que deve pegar fogo é o clássico mineiro entre o Atlético Mineiro – que goleou o Botafogo e afastou de vez as chances de ser rebaixado – e o Cruzeiro, ainda em perigo após empatar em 2 a 2 com o Ceará.

A penúltima rodada ainda foi de brilho para Flamengo e Coritiba, que voltaram à zona de classificação para a Copa Libertadores. Os flamenguistas, graças à vitória por 1 a 0 sobre o Internacional em Macaé, e o Coxa, com o 1 a 0 sobre o Avaí – resultado que lhe permitirá tentar confirmar a vaga em outro dérbi, contra o Atlético Paranaense, que praticamente deu adeus à Série A ao perder para o America Mineiro por 2 a 1.
Fonte: nominuto.com

Deixe uma resposta