Autor: Frankleidson Domingos

Drones já substituem trabalhadores dentro de empresas no Brasil

Os Drones não têm carteira assinada, mas pegam no batente em grandes empresas no Brasil. Fazem barulho. Não por melhores condições de trabalho, mas com suas hélices. Podem se locomover a 110 km/h, fazendo o trabalho de dois ou mais homens. Os veículos aéreos não tripulados, ou drones, começam a ser recrutados para executar funções antes realizadas por pessoas. Da mineradora Vale à companhia de energia AES Tietê, empresas afirmam que os empregados substituídos não são demitidos, mas realocados para tarefas “mais nobres”. Gastam até R$ 500 mil com os robozinhos, mas economizam outros milhares com mão de obra.

Ganham ainda em eficiência e precisão. E isso antes de o governo finalizar a regulamentação das maquininhas voadoras. Lá do alto, elas já vigiam plantas industriais, entram em minas e encontram falhas em telhados. A tendência é que o avanço de robôs, não só dos drones, e de outras tecnologias mude a dinâmica no mercado de trabalho.

Saem funcionários, entram drones. Todas as vezes que tinha de monitorar suas 12 usinas hidrelétricas, a AES Tietê montava uma operação de guerra. Levando equipamentos, um carro conduzia uma equipe que checaria as áreas verdes do entorno da represa e suas margens. Barcos iriam para a água medir a vasão e o acúmulo de material. O fundo do reservatório era averiguado por um mergulhador. Hoje, essas três atividades são executadas por drones aéreos, aquáticos e subaquáticos. O uso de drones não só permite cobrir grandes espaços, mas coletar dados com precisão cirúrgica. Drones registram imagens de alta resolução enquanto voam por uma rota predeterminada.

Fonte: G1-Tecnologia e Games

Facebook é acusado de permitir direcionamento de propagandas a grupos antissemitas

Facebook é acusado de permitir que propagandas na rede social fossem direcionadas a grupos de ódio antissemitas, segundo uma reportagem publicada nesta quinta-feira (14) pela organização de jornalismo sem fins lucrativos americana ProPublica.

Entre as opções disponíveis na hora da compra de publicidade direcionada, estavam as categorias “odiadores de judeus” e “história de ‘porque os judeus arruinaram o mundo'”.

De acordo com o texto, a compra podia ser realizada por US$ 30 (R$ 93), fazendo com que a propaganda aparecesse nos feeds de notícias pessoais de cerca de 2 mil usuários da rede social. As publicações foram aprovadas pelo Facebook em 15 minutos. Após contato da ProPublica, a rede social removeu as categorias antissemitas, que haviam sido criadas automaticamente por algoritmos, e afirmou que procuraria maneiras de concertar o problema.

Fonte: G1-Tecnologia e Games

Versão do “CCleaner” foi contaminada por vírus, alertam empresas

A Piriform, desenvolvedora do programa de computador CCleaner, publicou nesta segunda-feira (18) um alerta informando que os downloads oficiais do CCleaner, nas versões v5.33.6162 e Cloud v1.07.3191 foram alterados por um invasor. A empresa não informou quanto tempo o arquivo alterado ficou no ar, mas a versão identificada foi disponibilizada no dia 15 de agosto. O problema foi identificado na terça-feira passada (12).

O CCleaner é um software bastante popular que realiza pequenas rotinas de manutenção no computador para eliminar arquivos temporários e não mais necessários. Também pode ser uma ferramenta útil para a proteção da privacidade, já que elimina históricos de navegação e outras informações do gênero. O software aparece entre os mais baixados em sites de download no Brasil e no mundo.

Segundo dados da própria Piriform, até cinco milhões de instalações do CCleaner são feitas por semana. A Piriform afirmou que o código malicioso adicionado ao CCleaner envia algumas informações técnicas do computador para um servidor na internet. A partir desses dados, o servidor remoto pode enviar um comando para que o CCleaner infectado baixe algum outro software qualquer, que poderia realizar outras atividades maliciosas. Não se sabe o que esse programa poderia fazer.

Fonte: G1- Segurança Digital

Um Robô vai reger orquestra na Itália ao lado de Andrea Bocelli

O robô vai reger uma orquestra e dividirá o palco com o tenor Andrea Bocelli em uma apresentação em Pisa, na Itália.

O concerto ocorrerá em 12 de setembro durante o Festival Internacional de Robótica. Criado pela empresa ABB, o robô assumirá a batuta diante da Orquestra Filarmônica de Lucca. Chamado de YuMi, ele é constituído de dois braços articulados, que são acoplados em um corpo metálico.

Enquanto YuMi dirige a orquestra, o tenor italiano Andrea Bocelli cantará “La Donna è Mobile”, uma ária da ópera “Rigoletto”, de Giuseppe Verdi.

Drones se transformam em ‘segundo melhor amigo’ dos cães de resgate

Um pastor australiano chamado Anu sai das mãos de seu guia à procura de um ciclista e de uma mochileira perdidos em uma floresta. Ao mesmo tempo, um drone decola para apoiá-lo em sua missão: a tecnologia, o olfato do cachorro e a experiência do homem combinam forças nas tarefas de resgate.

Na Suíça desaparecem a cada ano entre 3 mil e 5 mil pessoas, a maioria mochileiros, esportistas acidentados, crianças, pessoas com demência ou com pensamentos suicidas, explica Romaine Kuonen, presidente da Associação Suíça para Cães de Resgate (Redog), a única associação membro da Cruz Vermelha que procura pessoas desaparecidas no país.

Os guias e cães sob o comando de Romaine realizaram no ano passado 22 missões e, desde o final de 2016, trabalham com a Federação a Suíça de Drones Civis, com a qual já realizaram em conjunto 12 operações de busca e resgate.

Fonte: G1 – Tecnologia e Games

Hackers acessam informações de milhões de contas do Instagram

Uma falha na programação do Instagram expôs a hackers informações como números de celular e endereços de e-mail de usuários da rede social. Em uma publicação no blog da empresa, o cofundador Mike Krieger reconheceu o problema, mas afirmou que nenhuma senha foi revelada e que a falha já foi corrigida.

Segundo o jornal “Daily Mail”, os hackers afirmam que conseguiram informações de seis milhões de contas com muitos seguidores, como de celebridades, e montaram um site na deep web no qual cobram para divulgar os dados.

Fonte: G1 – Tecnologia e Games

Drones vão patrulhar praias da Austrália para detectar tubarões

Drones equipados com um sistema de detecção de tubarões e alimentados por inteligência artificial começarão a patrulhar algumas praias australianas no próximo mês, com o objetivo de melhorar a segurança.

Os drones alimentados por bateria fornecerão um feed de vídeo ao vivo para um operador que, em seguida, usa o software de detecção de tubarões para encontrá-los em tempo real e com mais precisão do que o olho humano.

Fonte: G1 – Tecnologia e Games

Três drones doados para a Prefeitura de SP não têm autorização para operar no Brasil

Três drones doados para a Prefeitura de SP não têm autorização para operar no Brasil

Três drones – aeronaves não tripuladas – doados por empresas chinesas à Prefeitura de São Paulo a pedido de João Doria não têm autorização para operar no país. Os equipamentos ainda não estão em operação, mas um deles chegou a fazer voos de apresentação decorado com adesivos da Guarda Civil Metropolitana (GCM), em abril.

Ao todo, a prefeitura recebeu a doação de 11 drones, para serem usados para monitorar aglomerações e para auxiliar em ações de segurança, segundo Doria. Dois são da Dahua e um da Hikivision. As aeronaves dessas duas empresas, entretanto, ainda não receberam autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e, por isso, não podem ser usadas no Brasil.

G1