Slider

Deputado do PSOL chama Moro de ladrão, confusão é instalada e CCJ encerra sessão

Após quase oito horas de interrogatório ao ministro Sérgio Moro (Justiça) sobre as conversas entre integrantes da Lava Jato vazadas, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) encerrou a sessão em uma cena deplorável: com confusão e bate-boca iniciados após o deputado Glauber Braga, do PSOL, chamar o juiz Sérgio Moro de “ladrão”

“O senhor vai estar nos livros de história como um juiz que se corrompeu, como um juiz ladrão. A população brasileira não vai aceitar como fato consumado um juiz ladrão e corrompido que ganhou recompensa para fazer com que a democracia brasileira fosse atingida”, disse o parlamentar.

A medida provocou reação dos parlamentares da base de sustentação do governo que exigiram uma retratação e a retirada da ofensa da notas taquigráficas, que são registros da ata da comissão. O bate-boca foi iniciado com parlamentares tanto da situação, quanto da oposição indo um para cima do outro. A confusão terminou chegando na Mesa Diretora.

Nesse momento, parlamentares começaram a gritar “ladrão, ladrão”, o que fez com que Moro se retirasse do plenário. A partir daí, os gritos mudaram para “fujão, fujão”. A deputada Marcivânia Flexa, do PCdoB, que comandava a sessão, chegou a anunciar o encerramento da sessão, mas depois decidiu recomeçá-la a pedido dos governistas. Só que diante da falta de controle dos deputados, a presidente optou por encerrar.


Secretaria de Tributação do Estado pede apoio da FEMURN para o ‘Nota Fiscal Potiguar’

Em reunião no dia,  28 de junho, a Secretaria de Tributação do Estado (SET-RN) pediu o apoio da FEMURN na interiorização do programa ‘Nota Fiscal Potiguar’. A solicitação da SET é que as prefeituras municipais possam divulgar o programa, incentivando os cidadãos a solicitarem o documento fiscal e cadastrarem seus CPFs na nota. A medida vai contribuir com o aumento da arrecadação do Estado e das prefeituras, através do repasse do ICMS.
A FEMURN também vai orientar as prefeituras municipais que criem programas municipais de premiação para que os cidadãos peçam a nota fiscal em suas compras realizadas, estimulando a cidadania fiscal e contribuindo com o aumento da arrecadação do ICMS de cada município.

Vício no celular está afastando as famílias dentro de suas próprias casas

vício no celular está

A tecnologia torna nossas vidas muito mais práticas e é muito bom poder viver em uma época em que a comunicação entre todas as partes do mundo é altamente desenvolvida, e nossos amados estão a apenas uma mensagem de distância.

No entanto, devemos ficar atentos ao risco que o vício na tecnologia pode oferecer aos relacionamentos das pessoas que já estão a nosso lado.

Um dos eletrônicos mais utilizados por nós são os aparelhos celulares, porque permitem uma grande tecnologia, em um formato perfeito, que se encaixa nas palmas de nossas mãos. Além das ligações e mensagens, através deles podemos acessar as redes sociais e estar mais inteirados das vidas dos amigos que não podemos encontrar todos os dias.

No entanto, apesar de todos os pontos positivos dos celulares, também existe um lado muito negativo. Quando usados em excesso e sem consciência, essas ferramentas acabam se tornando o oposto do que deveriam. Ao invés de nos aproximarem das pessoas que gostamos e que estão longe, elas apenas nos afastam daqueles que já estão ao nosso redor.

Muitos de nós, mesmo sem perceber, estamos perigosamente viciados nos celulares e passamos mais tempo olhando nossas redes sociais do que nos conectando com nossas famílias e amigos.

O fotógrafo alemão Al Lapkovsky desenvolveu um projeto que mostra exatamente como o vício nos celulares está afetando lares em todo o mundo.

As imagens são fortes e mostram a solidão e a distância criada entre pais e filhos e também parceiro, graças à influência dos celulares. Veja algumas fotos de Al Lapkovsky abaixo:

vício no celular está2

vício no celular está3

vício no celular está4

vício no celular está5

vício no celular está6

vício no celular está7

vício no celular está8

vício no celular está9

vício no celular está10

Essas fotos são um grande incentivo para repensarmos a importância que os celulares ocupam em nossas vidas. Não precisamos abandoná-los nem deixar de usar nossas redes sociais, mas precisamos nos reeducar para não permitir que a tecnologia nos afaste do que é real e está ao nosso lado.

As pessoas são preciosas, os relacionamentos com aqueles ao nosso redor são fundamentais para vivermos felizes e realizados. Manter uma comunicação com o mundo é muito legal e benéfico, mas os “likes” das redes sociais nunca irão substituir uma conexão real com outro alguém.

Aprenda a valorizar o que realmente merece a sua atenção e dedicação!


Professor Jefinho deixou o MDB

O Professor Jefinho, que foi candidato  a vice-prefeito pela oposição (em São Paulo do potengi) na eleição passada na chapa encabeçada por Pacelli,  desfiliou-se do  Movimento Democrático Brasileiro. Brevemente, Jefinho cujo futuro político se encaminha pra ser promissor, vai se filiar a uma nova legenda partidária.

Blog do Silvério Alves


Santa Brasileira: Canonização de Irmã Dulce será no dia 13 de outubro

O Papa Francisco presidiu, hoje (1), na Sala Clementina, no Vaticano, o Consistório Ordinário Público para a Canonização de cinco Beatos, dentre os quais Irmã Dulce Lopes Pontes.
Durante o Consistório, o Santo Padre anunciou a data de canonização dos cinco beatos. Será no domingo, 13 de outubro próximo.
Além de Irmã Dulce, serão canonizados os seguintes beatos: John Henry Newman, cardeal, fundador do Oratório de São Filipe Néri na Inglaterra; Giuseppina Vannini (no século Giuditta Adelaide Agata), fundadora das Filhas de São Camilo;  Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família e Margherita Bays, Virgem, da Ordem Terceira de São Francisco de Assis. – Agência Brasil

Ministério da Saúde libera R$ 4,5 milhões para hospitais universitários do RN

O Ministério da Saúde liberou nesta segunda-feira (1º) mais de R$ 4,56 milhões para custeio de três hospitais universitários no Rio Grande do Norte. De acordo com a portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), os valores vão ser pagos mediante comprovação da liquidação dos empenhos emitidos.

Os recursos liberados fazem parte da primeira parcela anual do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF). No total, foram liberados mais de R$ 79 milhões em todo o país.

No estado, o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), em Natal, vai receber o maior valor – um total de R$ 1.769.641. Em seguida vem a Maternidade Escola Januário Cicco, também na capital, que terá liberados R$ 1.622.308. Por fim, o Hospital Universitário Ana Bezerra, em Santa Cruz, receberá R$ 1.174.649,00. Todos as três unidades são ligadas à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A verba do Ministério da Saúde será utilizada para custear o funcionamento dos serviços de ensino (consultas, internações e cirurgias), compra de materiais médico-hospitalares como anestésicos, seringas e medicamentos, além de possibilitar a execução de obras de reforma e ampliação da infraestrutura hospitalar, para melhorar e qualificar o atendimento prestado à população.

A portaria com a liberação leva em consideração as necessidades levantadas pelos gestores dos SUS nas esferas estaduais e municipais, em articulação com o MEC que define os projetos a serem executados.

Os recursos são pagos pelo Ministério da Saúde para as instituições que comprovaram o cumprimento das metas de qualidade relacionadas ao porte e perfil de atendimento, capacidade de gestão, desenvolvimento de pesquisa e ensino e integração à rede do SUS. Os pagamentos são efetuados pelo Fundo Nacional de Saúde.

G1


Petrobras deve detalhar venda de mais quatro refinarias até agosto

A Petrobras pretende vender oito de suas 13 refinarias em até 24 meses, disse hoje (1°) o presidente da petrolífera, Roberto Castello Branco. Já foram anunciados os processos de venda de quatro refinarias, e as demais devem ter o detalhamento apresentado até o início de agosto.

As vendas para o mercado privado devem reduzir a capacidade de refino da empresa em 50% e visam romper o monopólio da estatal sobre esse mercado. Também vão contribuir para maior alocação de capital em outras atividades, como a exploração e a produção de petróleo e gás em águas profundas.

“A exploração e a produção de petróleo tende a gerar retorno mais elevado que as refinarias, pelo menos as que estamos colocando a venda”, disse o presidente da empresa, em um almoço promovido hoje pelo Grupo de Líderes Empresarias Lide, no Hotel Belmond Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

A venda das oito refinarias já foi aprovada pelo plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). São elas a Abreu e Lima (Rnest); Landulpho Alves (Rlam); Gabriel Passos (Regap); Presidente Getúlio Vargas (Repar); Alberto Pasqualini (Refap); Isaac Sabbá (Reman), a Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor) e a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX).

Para evitar que se formem monopólios privados, a venda de refinarias nas mesmas regiões não poderá ser feita para um mesmo grupo. Já foram identificados potenciais interessados, mas, para o presidente da Petrobras, os compradores não devem ser grandes petrolíferas globais, uma vez que essas empresas vem reduzindo sua participação no setor de refino.

“Sabemos que as major oil companies reduziram, entre 2005 e 2017, 30% de sua capacidade de refino, e venderam 89 refinarias no mundo”, disse. “Existem outros players que já demonstraram interesse superficial agora vamos ver o interesse efetivo.”

Castello Branco disse que as mudanças na gestão farão com que a Petrobras seja “completamente diferente” nos próximos dois anos.

“O que vai sobrar da Petrobras? A Petrobras vai ser uma empresa pequena? A Petrobras vai ser uma empresa maior, mais forte, mais focada e mais saudável. Vamos investir muito mais do que estamos desinvestindo”, afirmou. Ele acrescentou que a empresa pretende continuar reduzindo seu endividamento e custos e que outra meta é reaver o grau de investimento.

Outro ativo que a Petrobras pretende vender é sua participação na petroquímica Braskem. Em entrevista a jornalistas, no fim do evento, o presidente da estatal disse que a empresa continua interessada em vender a sua parte. “É um investimento financeiro que não faz o menor sentido.”

Furto de Combustível

Castello Branco adiantou que a Petrobras pretende assinar um protocolo de intenções com a Secretaria Nacional de Segurança Pública para combater o furto em duto de combustíveis. Acordos semelhantes já foram assinados com os governos do Rio de Janeiro e de São Paulo, estados onde ocorre 83% dos casos desse crime.

“O furto de combustíveis produz, não só perdas para a companhia, em termos do próprio combustível que é subtraido e de equipamentos, mas também riscos de acidentes ambientais e para a vida humana.”

O presidente da Petrobras disse ainda que atualmente 4 mil pessoas trabalham na construção de um gasoduto para levar o gás do pré-sal para o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, e que o número de trabalhadores pode chegar a 7,5 mil. Cerca de 4 bilhões de dólares foram investidos no projeto, que prevê ainda uma planta de regaseificação.

Agência Brasil


Governo eleva para US$ 56,7 bi previsão de superávit comercial no ano

A equipe econômica elevou para US$ 56,7 bilhões a previsão de superávit da balança comercial para este ano. Revista a cada três meses, a estimativa foi divulgada hoje (1º) pelo Ministério da Economia.

Até o mês passado, o governo estimava que a balança comercial – diferença entre exportações e importações – encerraria o ano em US$ 50,1 bilhões. A alta no saldo, no entanto, não decorrerá da melhoria das vendas externas, mas porque as exportações e as importações cairão em relação às projeções originais.

Segundo a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, as exportações deverão encerrar o ano com queda de 2% em relação ao valor exportado em 2018. As importações, em contrapartida, deverão cair 1,9%.

Em relação às exportações, o motivo é o desaquecimento do comércio global e a queda de preços em algumas commodities (bens primários com cotação internacional). As importações deverão cair por causa da lentidão na recuperação da economia brasileira.

“A expectativa de comércio internacional brasileiro não é extraordinária não apenas por causa do quadro geral da economia brasileira, de recuperação lenta, mas também por causa do panorama global. A economia global terá um crescimento ainda mais baixo decorrente do enfraquecimento das relações de comércio internacional. O Brasil, naturalmente, sofre consequências disso”, disse o secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz.

A estimativa sobre as importações também foi afetada porque, no segundo semestre do ano passado, o Brasil importou US$ 8 bilhões em quatro plataformas de petróleo. Como as importações não se repetirão neste ano, a base de comparação ficou estimulada. Excluindo as operações com as plataformas, as compras externas encerrariam este ano em alta.

Ao longo desta década, o Brasil exportou plataformas de petróleo para subsidiárias de estatais no exterior, mas os equipamentos nem sequer chegaram a sair do país. Esse tipo de operação é amparado pelas normas de comércio internacional. Por causa do novo regime especial de tributação para o setor de petróleo, que entrou em vigor no ano passado, o país teve de reimportar essas plataformas, com impacto na balança comercial.

Agência Brasil


Governo já admite que estados ficarão de fora da reforma da Previdência

O governo já admite que estados e municípios devem ficar de fora da reforma da Previdência . A avaliação é que os governadores que apoiam a ideia não têm força para conseguir votos que assegurem a aprovação do texto. Além disso, estados comandados por partidos da oposição, como Bahia , Pernambuco e Maranhão , não se comprometeram com a defesa das mudanças nas regras de aposentadoria.

A exclusão dos estados da proposta pode agravar ainda mais o quadro de crise fiscal dos governos regionais. O déficit dos regimes dos estados subiu de R$ 47,4 bilhões em 2014 para R$ 88,5 bilhões em 2018.

O imbróglio envolvendo os estados, combinado com pressões de partidos do centrão para incluir mudanças na reforma e com a demora do governo em liberar verbas prometidas em troca de apoio, pode atrasar ainda mais a leitura do voto final do relator da reforma, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), na Comissão Especial que analisa a proposta. A leitura, que estava originalmente marcada para a semana passada, foi transferida para hoje, mas ainda corre risco de novo atraso. Isso poderia jogar a votação no plenário da Câmara para depois do recesso parlamentar, marcado para começar em 18 de julho.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), passou o dia de ontem em reuniões com líderes, representantes do Ministério da Economia e com Moreira para negociar a situação dos governos regionais. As negociações continuaram na noite de ontem, e já está marcado para a manhã de hoje um encontro com governadores para voltar ao assunto. Os técnicos da área econômica estão preocupados com a demora, pois, quanto mais tempo a reforma demorar, pior ficará o humor do mercado financeiro. E isso atrasaria ainda mais a retomada da atividade econômica.

Também falta entendimento entre os líderes dos partidos sobre os procedimentos da votação na comissão. Para acelerar a tramitação, seria preciso retirar destaques ao texto que atrasam o andamento no colegiado. A ideia seria que os destaques fossem apresentados somente na votação da matéria no plenário, mas não há acordo. Diante desse cenário, ganha força um movimento de empurrar a votação da proposta no plenário para agosto.

O GLOBO


Brasil e Argentina decidem hoje quem vai à final da Copa América

Brasil e a Argentina abrem na noite desta terça-feira, 2, a rodada semifinal da Copa América, que será concluída na quarta-feira, 3, entre Chile e Peru. Ao falar sobre a partida, o treinador Tite preferiu manter segredo sobre a escalação da seleção brasileira, não confirmando a presença do lateral esquerdo Felipe Luís. O jogador se recupera de dores musculares na coxa direita. O técnico preferiu elogiar o comportamento da torcida mineira em relação à seleção.

“Vai ser um grande espetáculo. Se a torcida puder trazer todo esse carinho que estamos recebendo desde que a gente chegou aqui em Belo Horizonte para dentro do estádio, nós seremos muito gratos. O Mineirão foi o lugar onde nós recebemos mais carinho do torcedor”, disse Tite ao lembrar a vitória do Brasil sobre a Argentina por 3 a 0 nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, em 2016.

O jogo desta noite, às 21h30, é o sexto entre o Brasil e a Argentina, no estádio do Mineirão, com ampla vantagem brasileira. São quatro vitórias e um empate.

O primeiro confronto entre as duas seleções, no Mineirão, foi em jogo amistoso em 1968. O time brasileiro foi formado por atletas que atuavam em Minas Gerais. O Brasil derrotou a Argentina por 3 a 2. Os gols brasileiros foram marcados por Evaldo, Rodrigues e Dirceu Lopes, todos jogadores do Cruzeiro.

Sete anos depois, as duas equipes voltaram a se enfrentar, mas em uma partida oficial, na Copa América de 1975, com jogos de ida e volta. Mais uma vez com uma convocação baseada no futebol mineiro, o Brasil voltou a derrotar a Argentina no Mineirão por 2 a 1, com dois gols do cruzeirense Nelinho.

Após esse jogo, o Mineirão passaria 29 anos sem receber jogos das duas seleções. Esse jejum acabou em 2004, quando Brasil e Argentina se enfrentaram pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, com vitória brasileira por 3 a 1. O grande destaque do jogo foi o então cruzeirense Ronaldo. Ele marcou três gols de pênalti.

Depois dessa partida, a seleção canarinha disputou mais dois jogos pelas Eliminatórias no Mineirão. Em 2008, o time brasileiro empatou em 0 a 0. Já em 2016, a história foi diferente. A O Brasil não tomou conhecimento da Argentina e venceu por 3 a 0, em uma das melhores atuações do time já sob o comando do técnico Tite. Os gols da partida foram marcados por Philippe Coutinho, Paulinho e Neymar.

Para a partida de hoje, a seleção acredita no seu crescimento coletivo e na sua forte defesa, que nesta Copa América ainda não sofreu gol. A Argentina, com uma equipe renovada, aposta no seu principal jogador: Leonel Messi.

“Tenho confiança na minha equipe. Convicção que vamos entrar e fazer um grande jogo. Cada partida tem a sua história. Conto muito com o nosso coletivo. Temos crescido mesmo no sentido de ser um time. É muito difícil de se criar isso numa seleção. Será uma partida que não tem chance para erro”, disse o goleiro Alisson, durante entrevista à imprensa no começo da noite dessa segunda-feira, 1º.


Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


PUBLICAÇÕES

Blogs parceiros

Receba atualizações

Copyright 2020 © All rights Reserved. Design by OFFICE FIX
Abrir conversa
1
Olá,
Se você tiver uma notícia, mande aqui pelo WhatsApp, que a gente publica !

É só clicar no botão abaixo !